Artistas e técnicas juntas no 8

Ontem fomos todas Marias da Fé Bettancourt Marins. Todas Diadorim’s, tal qual a personagem de João Guimarães Rosa em Grande Sertão: Veredas.

Travestidas de jagunças, em referência à luta pela sobrevivência feminina, nesse Sertão que é a cidade de São Paulo, que é o nosso Brasil.

Sertão ‘onde manda quem é forte, com as astúcias’. E disso, a gente aprende desde cedo. A astúcia de ser forte e de suportar as dores; a astúcia de se adaptar e contornar situações; a astúcia de fazer e ser tantas coisas juntas e ao mesmo tempo; de se esquivar dos perigos; de trabalhar e trabalhar tão mais; de estudar e estudar para tentar uma boa posição; de se submeter a baixos salários, desempenhando as mesmas funções; de gritar tão mais alto para ter voz; de traçar estratégias para escapar… escapar das garras afiadas de um machismo que teima em nos oprimir… em nos suprimir.

Nossa luta é contra todos os tipos de abusos, contra todos os tipos de violência…e são tantos e tantas…

Nossa luta é por nenhum direito a menos. E nosso lugar… não é nem a frente e muito menos atrás dos homens: é lado a lado.

O SATED/SP, por meio de seu núcleo feminino, quer garantir os direitos e representar todas as artistas e técnicas do estado de São Paulo.

Cremos na utopia de uma sociedade mais justa e igualitária.

Marchemos então!

 

Giovanna Galdi – Diretoria SATED-SP

#satedsp #satedspnaluta #marcha8m #marcha8mbrasil

 

FOTOS

{module Album José Wilker}

 

Deixe uma resposta